As cookies são importantes para o correto funcionamento deste site e são usadas para melhorar a sua experiência. Clique em OK para as aceitar e avançar ou consulte a nossa política de privacidade para ver a descrição detalhada do tipo de cookies que usamos.

OK
pt en
Newsletter
É melhor fazer muitos testes intervalados, ou poucos testes concentrados e sem repetir matéria?
Ciência 05.01.2022 Tempo de leitura: 3 min

É melhor fazer muitos testes intervalados, ou poucos testes concentrados e sem repetir matéria?

Distribuir os testes no tempo ajuda a aprender factos e conceitos e a aplicá-los. Uma meta-análise recente defende a utilização destas estratégias de aprendizagem e sugere que não importa se o tempo que decorre entre testes se mantém estável ou se vai aumentando até ao teste final, o importante é que os momentos de teste sejam separados no tempo.


relacionados
Os alunos que possuem conhecimentos prévios beneficiam mais das estratégias educativas
Ciência 02.11.2021 Tempo de leitura: 4 min

Os alunos que possuem conhecimentos prévios beneficiam mais das estratégias educativas

Responder a perguntas e receber feedback pode ajudar na aprendizagem, mas será esta estratégia benéfica para todos os alunos? Os que têm um nível de conhecimentos prévios mais elevado, numa dada área, podem beneficiar mais deste tipo de estratégias do que os restantes. Mais do que a capacidade de aprendizagem, a curiosidade parece ser um fator decisivo para compreender este facto. Ainda não sabemos qual destes efeitos precede o outro: será esta curiosidade resultado dos conhecimentos adquiridos na escola, ou, pelo contrário, é esta qualidade que leva os alunos a obter essas informações prévias? Não obstante, o benefício de proporcionar aos alunos uma sólida base de conhecimentos que pode ser usada no futuro parece ser inquestionável.


relacionados
Pode uma educação mais acelerada ter consequências negativas no bem-estar dos alunos?
Ciência 26.10.2021 Tempo de leitura: 4 min

Pode uma educação mais acelerada ter consequências negativas no bem-estar dos alunos?

Os alunos com conhecimentos e capacidades mais avançadas do que as dos colegas da mesma idade podem ter benefícios intelectuais se forem postos em turmas mais avançadas ou em programas de ensino mais exigentes e rápidos para a sua idade. No entanto, muitos professores e encarregados de educação consideram a prática potencialmente perigosa para o desenvolvimento social e emocional dos alunos. Um estudo recente mostra que não parece haver razão para preocupações: os alunos com uma educação acelerada não reportam mais problemas socioemocionais ou menos bem-estar psicológico ao longo da vida do que os alunos com uma educação regular.

A motivação é importante... mas não chega!
Ciência 23.03.2021 Tempo de leitura: 4 min

A motivação é importante... mas não chega!

Alunos mais motivados, com maior envolvimento dos pais na sua educação, em ambientes escolares mais seguros, e que sabem gerir os seus sentimentos e comportamentos podem ter maior sucesso escolar. Um estudo recente apoia esta ideia antiga. No entanto, este estudo indica também que estes factores menos relacionados com inteligência ou habilidades escolares, parecem beneficiar mais os alunos que já têm um bom desempenho escolar do que os alunos que ainda precisam de desenvolver uma base de conhecimentos sólida.

Quatro estratégias para melhorar a transferência de conhecimentos
Ciência 01.02.2021 Tempo de leitura: 5 min

Quatro estratégias para melhorar a transferência de conhecimentos

Praticar fazendo testes é uma estratégia de estudo poderosa e eficaz. Mas será que o que se aprende com este método pode ser transferido e aplicado a outros testes, conteúdos e contextos? Um estudo recente indica que, sob certas circunstâncias, a prática de recuperação pode favorecer a transferência da aprendizagem e conhecimentos – ou seja, testar os conhecimentos que adquirimos pode levar a um maior uso desses mesmos conhecimentos em novos contextos.

“Zoom Fatigue” ou como as reuniões virtuais nos estão a levar à exaustão e como evitá-lo
Ciência 06.10.2020 Tempo de leitura: 7 min

“Zoom Fatigue” ou como as reuniões virtuais nos estão a levar à exaustão e como evitá-lo

Com a necessidade de trabalhar e estudar remotamente que o COVID-19 nos trouxe, veio também o maior uso de videoconferências. Se, por um lado, a utilização de chamadas de vídeo permite que as pessoas se sintam mais conectadas, por outro, a sua utilização constante pode levar-nos à exaustão. Este fenómeno foi apelidado de “zoom fatigue” ou “fadiga de zoom,” em português. Quais são as suas causas e como se pode combater esta fadiga? A investigação científica e vários especialistas avançam algumas respostas.

Para atingir os níveis mais elevados de conhecimento, será mesmo preciso começar por baixo?
Ciência 22.09.2020 Tempo de leitura: 7 min

Para atingir os níveis mais elevados de conhecimento, será mesmo preciso começar por baixo?

Terão os alunos de praticar e adquirir separadamente os conhecimentos factuais mais básicos antes de analisar e aplicar conhecimentos? Ao contrário do que se poderia esperar, a resposta é «não», especialmente se forem testando os seus conhecimentos. Alunos que praticam a recuperação de conteúdos a um nível elevado ou uma mistura de conteúdos a níveis baixos e elevados podem alcançar bons resultados.

«Grit» ou «Garra»: Será importante ensinar paixão e perseverança?
Ciência 16.06.2020 Tempo de leitura: 8 min

«Grit» ou «Garra»: Será importante ensinar paixão e perseverança?

Vários fatores influenciam o desempenho escolar, mas, nos últimos anos, um novo conceito tem ganhado atenção: o «grit» ou força de vontade. Uma característica individual que vai além do QI ou do acesso a materiais. Apesar de ser necessária mais investigação, os professores podem tirar partido desta característica e ajudar os alunos a desenvolvê-la, ensinando-os, por exemplo, a não desistir perante as dificuldades.

Como criar – ou escolher – os melhores vídeos educativos?
Ciência 05.05.2020 Tempo de leitura: 7 min

Como criar – ou escolher – os melhores vídeos educativos?

Numa altura em que os professores estão à procura de formas de dar as suas aulas online, os vídeos podem ser seus aliados. Ainda mais quando já existem materiais deste tipo que podem facilmente ser usados. A investigação científica tem deixado algumas pistas sobre como se devem escolher ou construir vídeos que melhor ajudem os alunos a aprender.

Recursos e estratégias para uma educação online mais eficiente
Ciência 19.03.2020 Tempo de leitura: 5 min

Recursos e estratégias para uma educação online mais eficiente

Várias estratégias podem ser usadas para aproveitar ao máximo as possibilidades que a educação online nos dá e evitar os riscos que nos pode trazer. Richard Clark (2001) defendeu enfaticamente que o que gera aprendizagem são os métodos de instrução (as estratégias) e não os meios (online ou presencial). Se se utilizarem as melhores estratégias, poderemos evitar declínios na aprendizagem.

Educação online: uma necessidade que pode ter os seus benefícios
Ciência 17.03.2020 Tempo de leitura: 4 min

Educação online: uma necessidade que pode ter os seus benefícios

A necessidade de encerrar as escolas como medida de prevenção contra o coronavírus colocou sob os holofotes a educação online. Como é que os alunos podem aprender através da internet e quais as vantagens desta plataforma, são dois aspectos que devem ser sublinhados neste momento de recurso forçado ao ensino online.

Focar-se é bom, mas variar o foco é ainda melhor: quando e como usar o estudo intercalado
Ciência 18.02.2020 Tempo de leitura: 4 min

Focar-se é bom, mas variar o foco é ainda melhor: quando e como usar o estudo intercalado

Alternar entre ideias e exercícios durante uma sessão de estudo é um poderoso método para aumentar a aprendizagem. É especialmente indicado para fomentar a aprendizagem indutiva como operações matemáticas para resolver problemas ou aprender espécies animais com base em fotografias. E pode ser usado na sala de aula.

Receba as nossas novidades e alertas

Acompanhe todas as novidades.
Subscrever