As cookies são importantes para o correto funcionamento deste site e são usadas para melhorar a sua experiência. Clique em OK para as aceitar e avançar ou consulte a nossa política de privacidade para ver a descrição detalhada do tipo de cookies que usamos.

OK
pt en
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z A-Z

Memória de longo prazo

Refere-se conceptualmente às aprendizagens duradouras ou ao sistema de memória responsável pelo armazenamento da informação por períodos prolongados, que podem variar entre minutos, dias e anos, ou tornar-se permanentes.


Memória de Trabalho

Também conhecida por memória operatória é o sistema de memória responsável pela retenção temporária e processamento da informação durante a realização de atividades cognitivas complexas, tais como atividades de leitura, compreensão verbal ou resolução de problemas.

Interage com a memória de longo prazo para a recuperação de informação necessária ao desempenho de uma atividade em curso, e para a transferência e armazenamento de novas aprendizagens.


Memória declarativa

Ou explícita. É uma memória sobre lugares, pessoas e coisas, e é altamente dependente do hipocampo e do lobo temporal. Esta memória divide-se em dois subsistemas: a episódica, associada a eventos (por exemplo, lembrar do aniversário da mãe ou do primeiro dia de escola), e a semântica, associada a factos, conceitos e conhecimentos sobre o mundo externo (por exemplo, lembrar a capital de Espanha).


Memória não declarativa

Ou implícita. É uma memória de procedimentos que normalmente é usada sem consciência da lembrança. Está associada a capacidades motoras e estratégias precetivas, e envolve o cerebelo, a amígdala e caminhos específicos relacionados com determinadas capacidades (por exemplo, andar de bicicleta envolve o córtex motor).


Meta-análise

Metodologia de investigação quantitativa que sistematiza os resultados de um conjunto de estudos representativos de uma determinada temática.


Meta-cognição

Popularmente, a meta-cognição define-se como a capacidade de "pensar acerca do próprio pensamento".

É um conjunto dos processos implicados no conhecimento, avaliação e controlo do próprio funcionamento mental. Implica duas dimensões centrais: 1.) o conhecimento meta-cognitivo e 2.) a regulação meta-cognitiva. 

1. O conhecimento meta-cognitivo inclui:
1.1. - o conhecimento das próprias capacidades e funcionamento cognitivo (ex., reconhecer as próprias dificuldades atencionais e o desempenho habitual em tarefas que exigem manutenção prolongada da atenção) - conhecimento pessoal
1.2. - o conhecimento de estratégias cognitivas eficazes (ex., estratégias que favorecem a focalização da atenção, em detrimento da dispersão) - conhecimento de estratégias; e 
1.3. - a identificação da natureza cognitiva das tarefas (ex., grau de complexidade de uma tarefa ou estratégias necessárias à resolução de um problema) - conhecimento relativo às tarefas.

2. A regulação meta-cognitiva implica a monitorização e o controlo das próprias estratégias e funcionamento mental (ex., identificar os momentos de distracção durante a resolução de uma tarefa e aplicar as estratégias que conduzem à focalização da atenção).
 

veja também

Metamemória

Avaliação e conhecimento dos próprios conteúdos e processos de memória.


Mielinização

Processo de formação de uma substância (bainha de mielina) ao redor de um nervo para permitir que os impulsos nervosos se movam mais rapidamente.

veja também

Modelo Linear Hierárquico

Modelo Linear Hierárquico refere-se a uma forma complexa de regressão usada para analisar variância do(s) resultado(s) quando os preditores tem vários níveis hierárquicos. Permitem analisar relações dentro e entre os níveis hierárquicos (ver para mais detalhe, Woltman, Feldstain, MacKay, & Rocchi, 2012)

Por exemplo, a questão de investigação “que fatores relacionados com a escola, a turma, e o estudante influenciam a média final dos estudantes?” envolve três níveis hierárquicos. O nível mais elevado nesta hierarquia (nível 3) refere-se a fatores como o a localização geográfica da escola e o orçamento anual. O nível 2 da hierarquia a variáveis como a quantidade de trabalho de casa enviado pelo professor àquela turma, os anos de experiência do professor e o tipo de ensino. No nível 1 encontram-se variáveis como o género, o quociente de inteligência, o estatuto socioeconómico, etc. 

Os estudantes (nível 1) são de uma determinada turma (nível 2) de uma determinada escola (nível 3). A variável resultado (variável dependente – no exemplo, média final dos estudantes) localiza-se sempre no nível mais baixo da hierarquia.


Receba as nossas novidades e alertas

Acompanhe todas as novidades. Subscrever